Falsa dicotomia

Não há poesia descritiva

fora da intimidade

nem sempre o realismo

opõe-se ao romantismo.

Não fá fatos crus

sem o intimismo.

como não se filosofa

Abstraindo os fatos.

Basta que deixemos

a imaginação verter dos fatos.

Logo vem o sentido inescrutável

que Platão percebeu de sua caverna.

Corre assim complexa

a humanidade em seus recônditos.

A morte destaca o sentido da vida

E a vida se processa, ciente da morte.

Em momento de agruras cruciais

não nos resignemos.

O esforço para resgatar o que significam

agravos e mortandades

eis  nosso dever, posto que os prantos mortifiquem.

* Amadeu Garrido de Paula, poeta e ensaista literário, é advogado, atuando há mais de 40 anos em defesa de causas relacionadas à Justiça do Trabalho e ao Direito Constitucional, Empresarial e Sindical. Fundador do Escritório Garrido de Paula Advocacia e autor dos livros: “Universo Invisível” e “Poesia & Prosa sob a Tempestade”. Ambos à venda na Livraria Cultura.

ASSESSORIA

DE LEON COMUNICAÇÕES

Bruna Lyra Raicoski

0 comentários em “Falsa dicotomia”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *