Prometeu

Da instigante mitologia

Apareceu o arquétipo

Dos titãs que morrem em agonia

Para salvar o homem em seu périplo.

Assim como o crucificado

A pena é imposta num cadafalso.

Prometeu é amarrado

Numa rocha do monte Cáucaso.

Todos os dias um abutre sedento

Vinha comer seu indefeso fígado

Pena imposta por Zeus insatisfeito

À luz que tornou o homem lúcido.

Hoje vemos o divino arquétipo

Revelar-se em outros salvadores

Guerreiros da ciência, o médico,

E seus anjos que amenizam nossas dores.

* Amadeu Garrido de Paula, poeta e ensaista literário, é advogado, atuando há mais de 40 anos em defesa de causas relacionadas à Justiça do Trabalho e ao Direito Constitucional, Empresarial e Sindical. Fundador do Escritório Garrido de Paula Advocacia e autor dos livros: “Universo Invisível” e “Poesia & Prosa sob a Tempestade”. Ambos à venda na Livraria Cultura.

ASSESSORIA

DE LEON COMUNICAÇÕES

Bruna Lyra Raicoski

0 comentários em “Prometeu”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *