Insensatez

Definharás, pobre insensato

em líquido torpe e viscoso

no rio assoreado e lodoso

que jorrou sombrio e escravo

do ladrão de tua vil caixa d’água;

todos os dias lates qual vira-lata

ao deixar tua redoma de pirata

onde tentaste dormir sem mágoa.

Imaginas, insensato, governar um povo

a quem desprezas como brasas murchas

irás à eternidade  envergonhado e tolo.

Serás o exemplar do demônio

que enterrou milhares em caixões anônimos

e ardeu incandescente em eterno sonho.

* Amadeu Garrido de Paula, poeta e ensaista literário, é advogado, atuando há mais de 40 anos em defesa de causas relacionadas à Justiça do Trabalho e ao Direito Constitucional, Empresarial e Sindical. Fundador do Escritório Garrido de Paula Advocacia e autor dos livros: “Universo Invisível” e “Poesia & Prosa sob a Tempestade”. Ambos à venda na Livraria Cultura.

ASSESSORIA

DE LEON COMUNICAÇÕES

Bruna Lyra Raicoski

0 comentários em “Insensatez”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *