A paz

* Amadeu Garrido de Paula

Um povo de raças miscigenadas

rendeu-se a ondas de puro ódio

foram efêmeras, mas doloridas;

a paz voltou e afastou o opróbrio.

Atravessou firme aquele inverno

a primavera foi tíbia, mas a paz

era irreversível e o verão cálido

mostrou a luz que se não desfaz.

As raças logo voltaram a caminhar

de mãos dadas retomaram o fio

da história que as unira e o mar

revolto naquele período de mazela

sorriu ao ver seu povo redimir-se

e conduziu os barcos a ilhas belas.

* Amadeu Garrido de Paula, poeta e ensaista literário, é advogado, atuando há mais de 40 anos em defesa de causas relacionadas à Justiça do Trabalho e ao Direito Constitucional, Empresarial e Sindical. Fundador do Escritório Garrido de Paula Advocacia e autor dos livros:“ Universo Invisível” e “Poesia & Prosa sob a Tempestade”. Ambos à venda na Livraria Cultura.  Visite também o blog: www.amadeugarridodepaula.com.br.

0 comentários em “A paz”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *