Crianças árabes em Córdoba

Crianças brincam, pouco importam as guerras,

brinquedos volúveis no passar das épocas;

Agostinho em seu rigor das almas escolhidas

implicou com os meninos e as bolas de meias.

O homem nasce e brinca no meio dos torpedos

banhavam-se às margens do Guadalquivir

e simulavam as encenações dos mosteiros

empilhando seus corpos que sofriam a rir.

Pequenos já disputam vantagens e vitórias

Três meninos arquitetavam-se em Córdoba:

o Muezim, a torre, os fiéis e as histórias.

Todos queriam ser o poderoso Muezim

Averróis passava só e os compreendia;

afinal, é preciso poder se tens um fim.

* Amadeu Garrido é jurista da Garrido de Paula Advogados.

0 comentários em “Crianças árabes em Córdoba”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *