Desafio de um poeta

Enfrentar o poeta, sempre inseguro,

o crivo de uma jovem mulher crítica

é entrar no deserto em brasa do Aleph;

posto que já exauridos outros desertos

onde a areia é negra

“onde o viajante deve usurpar as horas da noite,

pois o fervor do dia é intolerável.”

Sua alma poderá ser aplaudida

ou rejeitada.

Nesta hipótese será bestial, rústico,

talvez inclinado a uma efêmera

luxúria.

Ou ser admirado

qual um premiado

manipulador de versos

e das incríveis construções

do dom que é a linguagem.

De qualquer modo

estará ansioso

mas, como disse Borges,

seria uma afronta retroceder.

Amadeu Garrido de Paulaé Advogado, sócio do Escritório Garrido de Paula Advogados.

*Para ler mais textos do autor, acesse o Blog Amadeu Garrido de Paula.

Esse texto está livre para publicação. Se precisar de  mais informações ou entrevistas entre em contato na  De León Comunicações:

Bruna Lyra Raicoski
Assessoria de Imprensa
bruna@deleon.com.br
(11) 5017-7604// 99655-2340

0 comentários em “Desafio de um poeta”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *